Follow by Email

quarta-feira, 1 de junho de 2011

A REVISÃO DA HISTÓRIA ANTIGA - UMA PERSPECTIVA


POR: P. JOHN CROWE


IMMANUEL VELIKOWSKY E O "CATASTROFISMO" VOLTARAM À BAILA NA OCASIÃO EM QUE A SONDA NEAR, DA NASA, REVELOU AS SUAS PESQUISAS SOBRE O "CINTURÃO DE ASTERÓIDES" E A SUA ORIGEM. - ST. VALENTINE'S DAY - ANO DE 2000 - MISSÃO NEAR CHEFIADA PELO DR. CHENG.
NO SEU BOLETIM DE INFORMAÇÕES A RESPEITO DOS RESULTADOS DA "MISSÃO NEAR", A NASA RECONHECEU QUE UMA "TROMBADA" FENOMENAL COM ALGO DESCONHECIDO (UM PLANETA, TALVEZ) HAVIA OCASIONADO A ORIGEM DO CINTURÃO.                                                                                                                  
EROS SERVIU COMO PROTÓTIPO. ASSIM FOI REVISTA A "TEORIA DO CATASTROFISMO" PREGADA POR VELIKOWSKY, REJEITADA E RELEGADA AO OSTRACISMO PELA CIÊNCIA.
VIDE:
ARQUIVO DO JORNAL INFINITO - O CINTURÃO DE ASTERÓIDES.

AN EDITED AND EXTENDED VERSION OF A PAPER PRESENTED TO THE SIS JUBILEE CONFERENCE, EASTHAMPSTEAD PARK, SEPT. 17-19TH 1999 [1]
INTERNET PAPER REVISION NO.1 MARCH 2001

INTRODUÇÃO

A HISTÓRIA ANTIGA, DA MANEIRA COMO NOS É ENSINADA, É UM DESASTRE. NADA SE AJUSTA CONVINCENTEMENTE.                                                                                                                                                    O DESENVOLVIMENTO DAS ARTES, CULTURAS E TECNOLOGIAS DAS PRIMEIRAS ERAS DEMONSTRA INCONGRUÊNCIAS INEXPLICÁVEIS.

HISTORIADORES DAS ARTES E ARQUEÓLOGOS ESTÃO EM DESACORDO.                 POR QUÊ? PORQUE A CRONOLOGIA DO PRIMEIRO E SEGUNDO MILÊNIOS AC ESTÁ COMPLETAMENTE ERRADA.                                                                                                                                             COMO ESSE DESASTRE ACONTECEU? COMO OS INVESTIGADORES DE ACIDENTES BEM SABEM, A SEQÜÊNCIA DE EVENTOS QUE LEVA AOS GRANDES DESASTRES É INVARIAVELMENTE UMA SEQÜÊNCIA DE ACONTECIMENTOS E COINCIDÊNCIAS ALTAMENTE IMPROVÁVEIS E INESPERADOS.

ISSO LEVA, FREQÜENTEMENTE NA PROBABILIDADE DE UM EM MUITOS MILHÕES, AOS GRANDES DESASTRES.                                                                         REVISIONISTAS DA HISTÓRIA ANTIGA ACREDITAM QUE A CAUSA DISSO É A CRONOLOGIA CONVENCIONADA PARA O ANTIGO EGITO, REFERENCIADA COMO C.C. AO LONGO DO RESTANTE DESTE TEXTO.                                                                        
ELA FOI TOMADA COMO CORRETA E USADA DIRETA OU INDIRETAMENTE PARA DATAR QUASE TODAS AS OUTRAS CIVILIZAÇÕES ANTIGAS DA EUROPA E ORIENTE PRÓXIMO.                                                                                                                               TAL É O PESO DO CONTROLE EXERCIDO PELAS INSTITUIÇÕES ACADÊMICAS ATUAIS QUE ELAS NÃO TOLERAM NENHUM POSSÍVEL MOVIMENTO REVISIONISTA EM SEU SEIO.                                                                                                                                                                      ASSIM, ESTUDIOSOS DE FORA, INCLUINDO ALGUNS ACADÊMICOS BRILHANTES E PENSADORES DE VANGUARDA, QUE SE AUTO-DENOMINAM REVISIONISTAS DA HISTÓRIA ANTIGA, ESTÃO AGINDO COMO OS INVESTIGADORES DE ACIDENTES NESSE DESASTRE. ESTÃO INVESTIGANDO TODAS AS EVIDÊNCIAS RELEVANTES, EM TODOS OS SEUS DETALHES, NO INTUITO DE DESCOBRIR E EXPOR TODOS OS EVENTOS E DESAFORTUNADAS COINCIDÊNCIAS QUE ENVOLVERAM A ADOÇÃO DA C.C. COMO PARÂMETRO OFICIAL.                                                                                                                                                      A SOCIEDADE PARA ESTUDOS INTERDISCIPLINARES (SOCIETY FOR INTERDISCIPLINARY STUDIES - SIS) FOI FUNDADA EM 1974 PARA PROMOVER A DISCUSSÃO E POSTERIOR ESTUDO DAS IDÉIAS DE IMMANUEL VELIKOVSKY. ELE FOI UM DOS PRIMEIROS A FAZER O ANÚNCIO PÚBLICO DE QUE A CRONOLOGIA DO ANTIGO EGITO ESTAVA, E AINDA ESTÁ, TERRIVELMENTE ERRADA.                                                                                                                                                                COMO RESULTADO, OS FARAÓS DA 18ª DINASTIA (D18), QUE TEM COMO FIGURAS MAIS FAMOSAS A RAINHA HATSHEPSUT E TUTANKHAMUN, FORAM JOGADOS 500 ANOS NO TEMPO. ELE CHEGOU A ESSA CONCLUSÃO DEPOIS DE COMPARAR AS PRIMEIRAS HISTÓRIAS DOS HEBREUS E EGÍPCIOS.                                                       NO VELHO TESTAMENTO, OS ANTIGOS HEBREUS REGISTRARAM GRANDES EVENTOS TAIS COMO A ENTRADA NO EGITO, A PERMANÊNCIA NA REGIÃO,               A OPRESSÃO E O ÊXODO DO EGITO, E CAMPANHAS POSTERIORES DOS REIS EGÍPCIOS SHISHAK E ZERAH CONTRA SEU POVO.                                                     
ENTRETANTO, NENHUMA REFERÊNCIA CLARA A QUALQUER DESSES EVENTOS PODE SER ACHADA NA HISTÓRIA EGÍPCIA.
DESDE OS ÚLTIMOS TEMPOS DA ERA VITORIANA, HISTORIADORES E ARQUEÓLOGOS ASSUMIRAM, DE UMA COMBINAÇÃO DE FONTES ANTIGAS, QUE SUA VERSÃO DA CRONOLOGIA EGÍPCIA É SEGURA.                                                           
DESSA FORMA, ARTEFATOS EGÍPCIOS ACHADOS EM MUITOS LUGARES FORA DO EGITO FORAM USADOS PARA DATAR A ARQUEOLOGIA DE OUTRAS REGIÕES EM TORNO DO MEDITERRÂNEO QUE NÃO TINHAM NENHUM REGISTRO HISTÓRICO PRÓPRIO.                                                                                                    
POR EXEMPLO, CERÂMICA DE MICENAS, NA GRÉCIA, FOI ACHADA NO EGITO, DESCRITA EM PINTURAS NAS PAREDES DE TUMBAS DE REIS DA DÉCIMA OITAVA DINASTIA (D18), E ENTRE AS RUÍNAS DE SEUS TEMPLOS.                                      ASSIM, O INÍCIO DA ERA MICÊNICA FOI DATADO, APROXIMADAMENTE, PARA O INÍCIO DA D18, POR VOLTA DE 1400 AC.
ACREDITA-SE QUE ELA TENHA SE ENCERRADO NO TEMPO DA INVASÃO DÓRICA DO SUL DA GRÉCIA, APROXIMADAMENTE EM 1200 AC.                                                            A OBJEÇÃO DE QUE ESSA AVALIAÇÃO É 500 ANOS MAIS ANTIGA DO QUE A QUE É AFIRMADA PELOS HISTORIADORES GREGOS E ROMANOS DA ANTIGÜIDADE, QUE VIVERAM UNS 2000 ANOS MAIS PRÓXIMOS DO PERÍODO EM QUESTÃO, FOI SIMPLESMENTE REJEITADA.                                                                              
OS ARQUEÓLOGOS, ENTÃO, COMEÇARAM A DESCOBRIR CERÂMICAS MICÊNICAS EM VÁRIAS REGIÕES POR TODO O MEDITERRÂNEO ORIENTAL. ISSO LEVOU-OS A CONCLUIR QUE HOUVE FOCOS DE OCUPAÇÃO ESPALHADOS NA GRÉCIA E EM OUTRAS ÁREAS DEPOIS DO FIM DA ERA MICÊNICA, POR VOLTA DO SÉCULO 12 AC (12C).                                                                        
AS PESSOAS, ENTÃO, PARECEM QUE VOLTARAM MISTERIOSAMENTE A REAPARECER EM SUAS CIDADES EM CONFIGURAÇÕES SEMELHANTES, EXATAMENTE COMO ANTES, NO 8º SÉCULO, QUANDO A CONTINUIDADE POPULACIONAL PODIA SER FIRMEMENTE ESTABELECIDA COM O PERÍODO CLÁSSICO GREGO E COM O MAIS CONSISTENTEMENTE DATADO IMPÉRIO NEO-ASSÍRIO. ESSES FOCOS DE OCUPAÇÃO, DURANTE 4 OU 5 SÉCULOS, FORAM CHAMADOS DE 'IDADES DAS TREVAS', E FORNECERAM A ESTUDIOSOS UMA GRANDE FONTE DE CONFUSÃO E CONTROVÉRSIA ATÉ O PRESENTE.                                                                                                                        
VELIKOVSKY, REFERINDO-SE A RELATÓRIOS ARQUEOLÓGICOS, CITOU MUITAS DISPUTAS ENTRE FAMOSOS ARQUEÓLOGOS QUE FORAM CAUSADOS PELA SÚBITA EXIGÊNCIA DE QUE SE AJUSTASSEM AS INTERPRETAÇÕES ARQUEOLÓGICAS À NOVA METODOLOGIA CRONOLÓGICA IMPOSTA PELAS 'IDADES DAS TREVAS'. MUITAS FORAM ACIRRADAS, CARREIRAS FORAM IRREPARAVELMENTE PREJUDICADAS.                                                                                       
QUASE TODAS AS DISPUTAS FORAM VARRIDAS PARA BAIXO DO TAPETE, JAMAIS TENDO SIDO SATISFATORIAMENTE RESOLVIDAS.                                                                    
A ARQUEOLOGIA, INTERPRETADA COM MENTE ABERTA, PROVOU REALMENTE, ALÉM DE QUALQUER DÚVIDA, QUE AS 'IDADES DAS TREVAS' NÃO EXISTIRAM, MAS A PROVA É IGNORADA.                                                                                 
INTERESSES VELADOS DO STATUS QUO GANHARAM A BATALHA. MONTANHAS DE DINHEIRO PÚBLICO ESTÃO SENDO GASTAS NO ESTUDO DESSA INVENÇÃO VITORIANA, CENTENAS DE LIVROS SÃO ESCRITOS SOBRE ELA SEM SOLUCIONAR SUA HISTORICIDADE.
TRISTEMENTE, NINGUÉM DO MEIO ACADÊMICO TEVE CORAGEM DE QUESTIONAR PUBLICAMENTE, DE MANEIRA SÉRIA, AS SUPOSIÇÕES FUNDAMENTAIS SOBRE AS QUAIS A CRONOLOGIA EGÍPCIA, BASE DAS 'IDADES DAS TREVAS', ESTÃO FIRMADAS. INFELIZMENTE A REAÇÃO A PENSAMENTOS INOVADORES NO MEIO ACADÊMICO É, FREQÜENTEMENTE, DE TENTAR AFOGAR O INOVADOR E SEU TRABALHO EM UMA MARÉ DE RIDICULARIZAÇÕES E DETURPAÇÕES.                                       
O DOGMA DO ESTABLISHMENT, QUE CONTROLA RIGIDAMENTE O QUE É ENSINADO À GERAÇÃO SEGUINTE, TEM SIDO SEMPRE DEFENDIDO DE MODO FEROZ. MAS TEM SIDO, MUITAS VEZES, FALSO. PARA TOMARMOS UM EXEMPLO CONHECIDO, A IGREJA CATÓLICA QUEIMOU BRUNO VIVO EM 1600 DC, POR SE RECUSAR A ACREDITAR QUE A TERRA FOSSE O CENTRO DO UNIVERSO, UM DOGMA QUE VINHAM ENSINANDO SEM DESAFIOS POR APROXIMADAMENTE 1300 ANOS. O MEIO ACADÊMICO, ATUALMENTE, EXERCE UM CONTROLE ATÉ MAIS RÍGIDO SOBRE O QUE É ENSINADO E SOBRE OS ASSUNTOS QUE SÃO APROPRIADOS PARA A PESQUISA.                                                                               
O POLITICAMENTE ACEITO, APESAR DE FALHO, SISTEMA DE 'PEER REVIEW' É JOGADO PELOS GUARDIÕES DO DOGMA QUE CONTROLAM AS PUBLICAÇÕES DE PESQUISA, POSSIBILITANDO-LHES ASFIXIAR AS TEORIAS INOVADORAS QUE OS CONTRADIGAM. PARA O ESTABLISHMENT DA DÉCADA DE 1950, VELIKOVSKY ERA TANTO UM RADICAL QUANTO UM INTRUSO, E LHE RESPONDERAM USANDO OS TRADICIONAIS MÉTODOS MEDIEVAIS DE CALÚNIA E SUPRESSÃO.                                                                                                                    
NO ENTANTO, FORA DO MEIO ACADÊMICO ELE RECEBEU APOIO CONSIDERÁVEL E AS MUITAS ANOMALIAS E PROBLEMAS ÓBVIOS CAUSADOS PELA CRONOLOGIA EQUIVOCADA TÊM SIDO, DESDE ENTÃO, TEMA DE INTENSOS ESTUDOS E DEBATES ENTRE OS HISTORIADORES REVISIONISTAS. AO ACEITAR QUE A FONTE TEÓRICA DA ATUAL CRONOLOGIA EGÍPCIA É FALSA, E AO ACEITAR AS EVIDÊNCIAS ARQUEOLÓGICAS INEQUÍVOCAS, TODOS OS PROBLEMAS DAS 'IDADES DAS TREVAS' PODERIAM SER RESOLVIDAS DE UM GOLPE.                                                                                                                 
SOMAS ENORMES DO DINHEIRO PÚBLICO PODERIAM SER ECONOMIZADAS, ALÉM DAS INCONTÁVEIS HORAS DE TALENTOSOS ESTUDIOSOS QUE DESPERDIÇAM SEU TEMPO E HABILIDADES TENTANDO RESOLVER O IRRESOLÚVEL.                                                                                                                                                               A VERDADE SOBRE A HISTÓRIA ANTIGA E O DESENVOLVIMENTO DA CULTURA E TECNOLOGIAS PODERIA, ENTÃO, FINALMENTE SER BEM COMPREENDIDA.                               
A CREDIBILIDADE DE MUITOS DOS MARAVILHOSOS REGISTROS DE TEMPOS REMOTOS, INCLUINDO AQUELES CONTIDOS NO VELHO TESTAMENTO, COMEÇARIA TAMBÉM A SER RESTAURADA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário